LOTIN

Minha foto
Joinville, Santa Catarina, Brazil
"Existo, logo penso". Friedrich Nietzsche

7 de ago de 2010

OS POLÍTICOS E OS PATROCINADORES DE CAMPANHAS

Assim como no futebol, ou melhor, nos esportes de modo geral, onde os patrocinadores são estampados nas roupas dos atletas, os políticos também deveriam ter essa prática, ou seja, deveriam estampar em seus paletós, automóveis, enfim, em locais visíveis os seus patrocinadores de campanha, pois desta forma saberíamos quem de fato patrocina o político e, portanto quais os interesses que o mesmo vai defender no seu mandato.

Há décadas que o País discute uma forma clara e honesta de como financiar as campanhas de modo a ser o mais ético possível, porém sabemos todos que, esta discussão é meramente retórica, ou seja, sem objetivo concreto e sem intenções claras de mudar algo de fato, pois se assim ocorresse, se houvesse uma mudança clara e ética na maneira de financiar as campanhas, poucos dos atuais concorrentes à cargos eletivos se elegeriam ou mesmo se reelegeriam.

Na lista dos maiores financiadores de campanha estão as construtoras, os bancos, empresas de gêneros alimentícios, os grandes proprietários de terras, enfim todos aqueles que detêm o poder econômico. Naturalmente que estes financiadores de campanha não doam seu dinheiro porque acham o candidato bonito ou coisa que o valha. É ingênuo quem pensa que a defesa dos interesses destes doadores não esteja em primeiro lugar no plano de Governo de qualquer candidato, seja no Executivo ou no Legislativo.

E quanto aos trabalhadores, onde entram neste processo? Simples, com seu voto, só isso, ou seja, àqueles que de fato deveriam ser o objetivo de toda a lógica política são esquecidos e sumariamente ignorados, afinal o papel que lhes coube nesta história já foi feito, ou seja, o seu voto já foi depositado na urna e agora não interessa mais.

Sim, políticos deveriam como os atletas, estampar seus patrocinadores, seja no automóvel, no paletó, enfim, em todos os locais onde a visibilidade fosse uma visibilidade de fato e não apenas de direito (para quem tiver interesse e saber quem patrocina quem, consulte o site do TSE, mas adianto que é uma empreitada bem complicada, esta tão escondido que desanima qualquer um de verificar) como é atualmente.

Uns dirão que é antiético, outros, por seu turno acharão tal medida, extremada demais.

Não concordo.

Antiético é o cidadão se eleger com os milhões doados por poucos e enganando muitos. Antiético é o cidadão se eleger com os milhões de poucos, com os votos de muitos e conquistados com a enganação de milhares, com promessas que sabemos não serão cumpridas visto que os interesses dos doadores são antagônicos com os interesses dos eleitores.

Escrevi este texto, como forma de tentar abrir os olhos da sociedade. Claro, poucos terão acesso ao mesmo, mas mesmo assim faço minha parte, pois fiquei assustado com a enormidade de placas, cartazes, adesivos, enfim com a propaganda que determinados candidatos estão apresentando em Joinville. Nas andanças que tenho feito, vi e vejo material de campanha que me levaram a questionar o quanto certas candidaturas estão investindo ( sim, para a maioria dos candidatos, politica é um belo investimento) e quem de fato esta bancando tudo isso? Naturalmente que sei a resposta e você, leitor, sabe?

Enfim, e para encerrar, o político honesto, sério, íntegro e de caráter não tem medo de expor seus doadores, pois este com certeza saberá colocar para todos os interessados quem de fato ele defende e o que ele pretende com a política.

Minha conclusão: Esta cada dia mais difícil ser honesto no Brasil, mas mesmo assim, continuo acreditando que um dia nos livraremos desta corja de desonestos que suga o sangue e o suor dos trabalhadores em geral a mais de 30, 40 e até 50 anos.

Um dia a sociedade acordará para a vida e daí sim teremos de fato um País de todos e para todos.

Enquanto isso não ocorre gostaria de esclarecer algumas coisas: não tenho gasolina para dar para ninguém, não tenho verba para pagar cabo eleitoral, não possuo dinheiro para comprar voto, pois conto com a concientização de todos de que política se faz com caráter, com integridade e com honetidade e disso não abro mão.

Sim eu poderia fazer um empréstimo e contratar cabos eleitoriais, pagar gasolina, comprar votos, só que se fizesse isso teria que pagar o empréstimo e para pagar o empréstimo teria que vender meus ideais e trair tudo que penso, pois quem comprasse iria querer que eu defendesse os seus interesses e estes com certeza não são os meus, pois os ideais de quem tem muito, não são os ideais de que tem pouco e eu possuo muito pouco. Se vendesse meus ideais trairia a minha consciência e todos aqueles que assim como eu acreditam em honestidade, caráter e honra e isso eu não faço pois:

Políticos + patrocinadores + votos da população em geral = corrupção e traição

Políticos + conscinetização + participação consciente e ativa = honestidade, caráter e futuro melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário